top of page

Recorde histórico de 103 Milhões de pessoas forçadamente deslocadas

As últimas estatísticas do ACNUR revelam um cenário inquietante, com mais um recorde global histórico de 103 milhões de pessoas que foram forçadas a fugirem de suas casas. Dentro desta população integram-se os refugiados, cujo número também chegou a um crítico recorde histórico de 32.5 milhões de pessoas, em que 41% são crianças. Também 4.9 milhões de pessoas permanecem à espera de uma resposta ao seu pedido de proteção internacional.

Gráfico População Forçadamente Deslocada 2022

A maioria dos refugiados continua a ser acolhida em países de renda-baixa do sul global,

com a Turquia a encabeçar a lista de países que acolhem mais refugiados com 3.7 milhões. A Colômbia continua em segundo lugar, com 2.5 milhões de refugiados acolhidos e o Paquistão e o Uganda ambos com 1.5 milhões de refugiados acolhidos. A Alemanha é o único país de renda-alta neste top, tendo aumentado o número de refugiados acolhidos no último ano para 2.2 milhões.

Cerca de 72% de toda a população refugiada no mundo vem de apenas cinco países. A Síria permanece como o país com o maior número de pessoas, com 6.8 milhões de

refugiados, seguida pela Venezuela com 5.6 milhões. A Ucrânia aparece pela primeira vez neste triste top com 5.4 milhões de refugiados. Seguem-se o Afeganistão e o Sudão do Sul com 2.8 milhões e 2.4 milhões de refugiados respetivamente.



As pessoas que foram forçadas a deslocarem-se mas que permanecem dentro das fronteiras do seu país de origem perfazem 53.2 milhões de pessoas. Havendo ainda cerca de 5.3 milhões de pessoas que se encontram em situação de risco.


41% dos refugiados em todo o mundo são crianças. Menina aos ombros do pai que tenta passar a fronteira entre a Venezuela e a Colômbia.