top of page

Mais de 108 milhões de pessoas obrigadas a fugir das suas casas no mundo

Neste Dia Mundial do Refugiado conhecemos os números relativos à proteção internacional no mundo. Foi atingido mais um recorde histórico de 108.4 milhões de pessoas que foram obrigadas a fugir de suas casas para conseguirem salvar as suas vidas, incluindo mais de 35.3 milhões de refugiados.

A guerra na Ucrânia no ano passado levou ao mais rápido fenómeno de deslocação forçada da História. Adicionalmente, a intensificação de conflitos, da violência e da insegurança noutros pontos do mundo, levou a mais um recorde histórico, registando-se a maior subida anual de sempre! O número de pessoas a fugirem de perseguições, de conflitos, da violência e da violação aos Direitos Humanos vai continuar a aumentar, estimando-se que, neste momento, tenha chegado aos 110 milhões.

O prolongar de conflitos duradouros e o surgimento e o intensificar de outros, levou a que, em 2022, mais de 87% dos refugiados de todo o mundo fossem originários de apenas 10 países. Cerca de 1 em cada 5 refugiados são sírios, com a Síria a ter 6.5 milhões de refugiados, seguida da Ucrânia e do Afeganistão ambos com 5.7 milhões de refugiados. Outros países são a Venezuela com 5.4 milhões, o Sudão do Sul com 2.3 milhões, o Myanmar com 1.2 milhões ou a República Democrática do Congo com 931 mil refugiados, entre tantos outros.

A maioria dos refugiados continua a ser acolhida em países de renda-baixa do sul global, com a maioria a permanecer nos países vizinhos. com a Turquia a encabeçar a lista de países que acolhem mais refugiados com 3.6 milhões. Seguida do Irão com 3.4 milhões e da Colômbia com 2.5 milhões. A Alemanha é o único país de renda-alta neste top, tendo aumentado o número de refugiados acolhidos no último ano para 2.1 milhões. O Paquistão permanece com o um dos países que historicamente acolhe refugiados, com 1.7 milhões.

As pessoas que foram forçadas a deslocarem-se mas que permanecem dentro das fronteiras do seu país de origem perfazem 62.5 milhões de pessoas. Havendo ainda cerca de 5.4 milhões de pessoas que se encontram em situação de risco.


Refugiados ucranianos aguardam assistência. Atlantic Council.


20 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page